O que te move? Entenda as três dimensões do propósito e como torná-lo um caminho, não um fim

Muito se fala de propósito que, de forma simples e direta, é o seu “porquê”. O que te move? Que motivos você tem para ser e estar no mundo? Por que você está conectado a estas relações? Por que faz o que faz?

Compreendemos o propósito como caminho. Uma jornada individual, mas não solitária. São as motivações que encontramos ao logo da vida para dar sentido e significado ao que fazemos a partir das escolhas pessoais, das relações e do próprio trabalho.

De maneira indissolúvel, o propósito se materializa pela integração de três dimensões: subjetiva, relacional e objetiva. Conheça:

  • Dimensão Subjetiva – A dimensão subjetiva está relacionada com a nossa essência: perfil, estilo, preferências, emoções e motivações. É o sentir-se bem em ser quem você é, realizando seu potencial.  Impacta em nossa autoestima e na segurança que temos por aquilo que somos, trazendo benefícios para nossa saúde física e emocional.
  • Dimensão Relacional – A dimensão relacional se dá pela construção da identidade social e dos aprendizados e convivência com o outro. É o encontro entre identidades e necessidades que geram conexões possíveis entre quem você é e quem é o outro. Torna-se constituinte e impacta na qualidade das relações que estabelecemos. Pela abertura, aprendizado e compartilhamento de preferências, talentos, conhecimentos e afetos, é possível construirmos relações de confiança.
  • Dimensão Objetiva – A dimensão objetiva está relacionada ao nosso fazer e ao senso de valor daquilo que realizamos. Impacta tanto na utilização das nossas melhores habilidades quanto gera produtividade e satisfação pelos resultados práticos. Trata-se daquilo que se pode aplicar, observar e reconhecer como entrega em conexão com as necessidades do mundo.

Trazer o propósito para a consciência

O caminho é cíclico e as dimensões são dinâmicas e integradas. Quando se está em dúvida ou em conflito com nossas próprias escolhas, podemos retornar a essas dimensões e reconhecer aquilo que nos move. Ter consciência do propósito como caminho e processo permite reafirmar escolhas e até mesmo fazer novas. Isso vale para um indivíduo, para um grupo e até mesmo para uma organização. Cada um com sua identidade e propósito.

Quando pessoas, grupos e organizações conectam seus propósitos, trazendo-os para a consciência, é possível evoluir no senso de pertencimento, no engajamento e na construção de relações mais autênticas e saudáveis.  Convidamos você e sua empresa a olharem para este caminho, não como fim, mas como processo de autoconhecimento e evolução.


Léia Wessling
é psicóloga e sócia-diretora da Light Source;
Thaís Farsen é psicóloga e consultora da Light Source

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − sete =