Estado de Flow, Bem-estar e Propósito: como fluir no trabalho

Por Regina Weber

A palavra flow vem do inglês e significa fluxo, que é o ato de fluir, escoamento ou movimento contínuo de algo que segue um curso. A palavra fluxo, usada no sentido figurado, dá o entendimento de que algo está acontecendo de forma sucessiva, fluída.

Assim, Estado de Flow simboliza um momento de fluidez em que nos encontramos e no qual as coisas parecem seguir um fluxo contínuo e agradável. Esse termo define uma situação na qual estamos completamente envolvidos em algo. O Flow representa o exato instante em que percebemos a atividade, aquela com a qual estamos envolvidos, fluir.

É o período no qual ficamos completamente absorvidos em uma atividade, perdendo o sentido de espaço e tempo. É um estado mental em que imergimos naquilo que estamos fazendo e que desperta uma sensação de energia, prazer e foco total no processo. É quando nos tornamos parte daquilo que está sendo desempenhado.

Flow é uma condição em que nosso corpo e nossa mente estão em perfeita harmonia, nos levando a um estado de excelência enquanto trabalhamos, estudamos ou praticamos qualquer atividade. Ele pode ser atingido quando escrevemos, dançamos, jogamos, falamos em público ou conversamos com amigos.

Pode acontecer no trabalho, no estudo, em atividades esportivas ou de lazer. O que o caracteriza é sempre um sentimento de total envolvimento e sucesso no decorrer da atividade. É a sensação de prazer e realização que a atividade nos proporciona.

Por um propósito maior

Você já esteve diante de um grande desafio que o manteve concentrado por um longo período, totalmente absorvido por uma tarefa a ponto de desligar-se de tudo? E nesse instante, sentiu que o mundo lá fora parecia não existir?

Talvez você tenha experimentado o Estado de Flow!

Isso porque esse estado é marcado pela total concentração, motivação e, principalmente, pela presença de desafios para os quais nos sentimos prontos. É quando nos é exigido esforço e empenho de uma forma tão estimuladora que podemos ampliar nosso conhecimento e nossa capacidade.

Conhecido também como Estado de Fluxo ou Experiência de Fluxo, o conceito foi desenvolvido na década de 70 pelo psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi, PhD e professor da Universidade de Chicago, para designar as experiências ótimas de fluxo na consciência.

Ele identificou o estado de flow ao estudar as razões da felicidade em algumas pessoas, no pós-guerra. Pessoas de diferentes formações e profissões que se mantinham motivadas mesmo após todas as situações enfrentadas durante a Segunda Guerra Mundial.

Ele constatou em seu estudo que o Flow era atingido sempre que as pessoas estavam realizando tarefas que consideravam desafiadoras e que, ao mesmo tempo, atendiam a um propósito maior.

Por ser um estado mental ou psicológico, o conceito diz que não nos mantemos definitivamente no fluxo. Ele cessa assim que completamos um determinado projeto ou alcançamos um desafio. Mas estar nesse estado tende a ser bastante positivo, já que aumenta a produtividade e o bem-estar e nos proporciona momentos de felicidade.

Então seria prudente nos movermos em direção ao Flow, correto? Bom, uma das características do Flow, é que não entramos nele de forma pensada e programada. Trata-se de um processo espontâneo, que depende de nossas sensações a respeito dos desafios que temos e das nossas habilidades, mas que ocorre de forma natural quando alcançamos esse equilíbrio. Quando, “sem querer”, nos encontramos em um estado mental apropriado de alta motivação, alta concentração, alta energia e alto desempenho.

Crie as condições necessárias para o Flow

De alguma forma, todos nós podemos atuar para alcançar o Estado de Flow, se assim o desejarmos. Desde que busquemos não ele diretamente, mas sim os caminhos que nos levam a ele. Estar em Estado de Flow é um processo viável e mensurável quando as condições necessárias estão presentes. Quando experimentamos algumas condições ou sensações, como, por exemplo:

  • Sabemos o que fazer e aonde devemos chegar;
  • Temos feedback tempestivo sobre nosso desempenho;
  • Alcançamos equilíbrio entre nossas habilidades e os desafios;
  • Perdemos a noção do tempo durante o trabalho;
  • Fazemos parte de algo maior e significativo;
  • Temos foco prazer e realização no fazer;
  • Mantemos concentração e atenção na atividade presente;
  • Percebemos que o nosso trabalho flui de forma espontânea.

Assim, sempre que houver equivalência e equilíbrio entre o desafio que nos é proposto e a nossa habilidade para lidar com esse desafio, será possível entrar em Estado de Flow. Parece lógico, então, que a nossa busca seja essa: situações pelas quais ainda não passamos que nos desafiem e estimulem, e desenvolvimento, informação e conhecimento que ampliem nossas habilidades.

 

* Regina Weber é psicóloga e consultora sênior na Light Source

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 9 =