Cultura: um diferencial competitivo para os negócios

A psicóloga e consultora Léia Wessling  é a convidada da segunda edição do Café com Gestores, evento realizado pela UniSociesc em Blumenau no dia 27 de setembro. A empresária e diretora da Light Source falará de um tema contemporâneo nas discussões sobre práticas de gestão: a Cultura Organizacional como Diferencial Competitivo. O evento é gratuito.

Mas afinal, por que cultura pode ser um diferencial competitivo nos negócios? De acordo com Léia, quanto maior a necessidade de adaptação, mudança e transformação de uma organização, maior a necessidade de trazer a cultura organizacional para as mesas de reunião, para entendimento e ações voltadas à mudança de um comportamento coletivo. Nesse sentido, vale lembrar que cultura organizacional está ligada à identidade da empresa (propósito e visão de futuro), ao modo de se relacionar com o cliente (proposta de valor), ao modo como o trabalho é realizado (eficiência e produtividade), a novos modelos de negócios que preciso criar (inovação), ao jeito de liderar as pessoas (estilo de gestão).

— O nível de consciência cultural de uma organização pode fazê-la demorar mais ou menos para produzir mudanças ou para adaptar-se às transformações sociais e de mercado. Por isso, a cultura é, e cada vez mais, um diferencial competitivo para as organizações — salienta a consultora.

Empresas de SC ainda precisam abandonar crenças limitadoras

Se cultura organizacional é um conceito atual em práticas de gestão — inclusive para justificar resultados não alcançados ou mesmo o comportamento do mercado —, ainda pouco se faz, de maneira estruturada, para gerenciar a cultura organizacional. Em Santa Catarina, há empresas altamente conectadas a esta dimensão, rediscutindo a identidade e os modelos de trabalho. Mas, a grande maioria, conforme Léia Wessling, ainda tem dificuldade em associar discurso e prática.

— Considerando que 80% das empresas no Brasil têm base familiar (e em SC não é diferente), a cultura pode ser vista como um legado e uma força que precisa ser evidenciada e discutida. Muitas empresas não compreenderam ainda que transformação digital é transformação comportamental, e se dedicam a criar start ups, área de pesquisa ou novos produtos, por exemplo, mas não abandonam suas crenças limitadores, como “nossa tradição é nosso maior patrimônio” ou “vai demorar para isso acontecer aqui no nosso mercado”. Quando se dão conta, já perderam mercado, estão lentos e burocráticos e a mudança já aconteceu. Por isso gerenciar cultura organizacional é tornar a empresa mais competitiva — analisa a empresária.

Agende-se

Palestra Cultura Organizacional como Diferencial Competitivo, com Léia Wessling
Quando: quinta, 27/9, 19h às 21h
Onde: UniSociesc – Campus Blumenau (Rua Pandiá Calógeras, 272, Jardim Blumenau, Blumenau)
Quanto: gratuito
Inscrições podem ser feitas até a data do evento pelo email diogo.lage@unisociesc.com.br. Basta enviar nome completo, e-mail e telefone.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + um =