Conecete-se com a esperança

Por Léia Wessling

Resolvi escrever este texto para relatar um pouco sobre minhas sensações e experiências recentes com a Conexão e a Esperança. São impressões sobre a participação da Light Source no Conecte-se, programa do Centro Cultural Escrava Anastácia, de Florianópolis, que oferece trilhas de aprendizagem para jovens em situação de vulnerabilidade social. A esta experiência também somam reflexões a cerca do papel das lideranças e sobre os movimentos de transformação cultural.

René Brown, pesquisadora social norte-americana, em seus estudos sobre as necessidades humanas, indica que temos um desejo inato de Conexão. Isso quer dizer que, de maneira essencial, desejamos estar em contato com os outros, iguais e diferentes, que afirmam e reconhecem a nossa existência. Trata-se de um desejo de ser visto pela mãe, pelo amigo, pelo professor, pelo líder, pelo colega de trabalho ou mesmo pela pessoa recém-conhecida.

O mundo vinha ponderando o quanto a conexão virtual seria saudável para o desenvolvimento psíquico e social dos seres humanos. Agora temos utilizado esse meio, sem muitos receios, por se tratar da forma mais rápida e acessível de relacionamento. Parece que a humanidade precisa mesmo de conexão.

Dentre as famosas perguntas kanteanas está: o que é permitido esperar? A Esperança vem do latim spes, que significa “confiança em algo positivo”. Trata-se de uma crença emocional defendida tanto pela teologia quanto pela filosofia e pela psicologia. Nas palavras do filósofo contemporâneo Karnal, a esperança é a virtude necessária para que seja possível fazer algo novo. Para a Psicologia Positiva, a esperança é uma força propulsora que faz seres humanos seguirem em frente e acreditar que algo desejado é possível, pois adiciona uma disposição cognitiva, emocional e motivacional.

Viver é arriscar-se.

Em meio a pandemia, seres humanas do mundo todo têm sido expostos a muitos riscos desconhecidos e também aos já experimentados, que ficam ainda mais evidentes. O medo de perder a saúde. O medo de perder o emprego. O medo de sofrer violência. O medo da falência. O medo de ser esquecido.

Como a Conexão e a Esperança, virtudes e necessidades humanas, podem se manter vivas neste momento?

Tenho visto pessoas mais espontâneas e intensas em suas relações familiares e pessoais (inclusive por meio da violência e dos conflitos). Tenho visto também pessoas mais comunicativas, solícitas e colaborativas nas relações de trabalho. Tenho ouvido sobre jovens de comunidades sendo aliciados para o narcotráfico como fonte de renda alternativa. Tenho visto profissionais da saúde se dispondo a atendimentos gratuitos. Tenho visto professores e pais trabalhando arduamente para manter processos de aprendizagem.

Léia Wesling, psicóloga, empresária e consultora

O que tenho sentido é uma grande compaixão por nós, seres humanos, pois podemos perceber agora o quão interconectados somos na saúde, na economia, no trabalho e nas relações humanas e sociais. Sinto também ainda mais forte que não existe transformação, existe apenas evolução, aquela que, de experiência em experiência, nos permite desenvolver novas virtudes.

E é essa ternura dada pela compaixão que me faz retornar à Conexão e à Esperança. Tenho esperança de que possamos criar novas conexões a partir dessa crise.Que a previsível ampliação da desigualdade social no mundo amplie a compromisso de pessoas, empresas e governos com a melhoria das condições humanas, ambientais e sociais. Que mais investidores sociais estejam à disposição para melhorar as cidades e as condições de vida.

Enquanto isso, me conecto e confio de maneira positiva (exercito a esperança) em mais de 200 jovens atendidos pelo Centro Cultural Escrava Anastácia (CCEA), em Florianópolis (entidade vinculada ao Instituo Padre Vilson Groh – IVG), para que possam usufruir do projeto CONECTE-SE, preparado com muito carinho. O programa dá acesso ao autoconhecimento, à profissões e também à cidadania, de maneira virtual e com muita conexão. Light Source na curadoria, SENAI, SENAC e Resultados Digitais nas trilhas de aprendizagem em profissões, a equipe CCEA/IVG dedicada a fazer acontecer e investidores sociais se engajando para a formação de um fundo emergencial às famílias dos jovens conectados ao programa. Serão três meses incríveis! Conexão e Esperança.

Mantenho-me conectada e esperançosa com lideranças que querem olhar e atuar com maior responsabilidade consigo mesmas e com suas famílias, equipes, empresas e comunidades. Presença, verdade e coragem estão despertando essas lideranças! Conexão e Esperança.

E já que a vida é risco, arrisco vivê-la com esperança e conexão, em tudo aquilo que posso realizar no “dia após dia”. Convido você a viver isso.

Léia Wessling é psicóloga, empresária e consultora. Diretora da Light Source

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 5 =